Exames confirmam suicídio de irmã de Júlia Roberts

Três meses depois de ter sido encontrada morta na banheira, exames confirmam que Nancy Motes, meia-irmã da atriz Julia Roberts, ter-se-á suicidado. Estes são os resultados divulgados pelos entidades forenses de Los Angeles.

A hipótese de morte por afogamento de Nancy Motes, de 37 anos, após overdose foi deitada por terra depois de os exames toxicológicos terem dado resultado positivo a consumo de várias substâncias. Estes resultados,avançados pelo Los Angeles County Coroner e que serão detalhados no final deste mês, revelará fármacos que tenham sido ingeridos pela meia-irmã de Julia Roberts, que apareceu morta na banheira a 9 de fevereiro.

"Quero que toda a gente saiba que ela não era toxicodependente e este relatório forense é prova disso mesmo. No entanto, estou a sofrer e este é um dos piores pesadelos que se se possa imaginar", assegurou o namorado de Nancy Motes, John Dilbeck, ao jornal New York Daily News, que reagiu ao facto de Julia Roberts ter declarado que a meia-irmã, produtora executiva na série Glee, tinha morrido de overdose. "Isto é a prova de que Julia estava a manipular a verdade relativamente ao que aconteceu, ela persistia que se tinha tratado apenas de uma overdose", declarou Dilbeck, que não foi convidado a estar presente nas cerimónias fúnebres de Nancy, que decorrem a 3 de maio.

Segundo o que tem vindo a público nos últimos meses, a relação entre Julia e Nancy era difícil e tinha vindo a piorar nos últimos meses Porém, a atriz de Pretty Woman declarou recentemente ao Wall Street Journal que o desaparecimento de Nancy lhe tinha "partido o coração". "Não queremos que nada de mal aconteça, mas há tantas coisas trágicas, dolorosas e inexplicáveis no mundo", afirmou Roberts.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).