Charlotte Church: "David Cameron é misógino"

A cantora britânica de 29 anos revelou ter ficado desiludida com a postura do primeiro-ministro britânico durante reuniões do inquérito Leveson. Church diz ter sido discriminada por Cameron.

A revelação foi feita durante uma conferência de imprensa sobre uma marcha anti-austeridade, agendada para 20 de junho. Church, que foi uma das personalidades ouvidas durante o inquérito Leveson, revelou ter sido discriminada pelo primeiro-ministro britânico quando, em 2012, este se encontrou com várias figuras públicas, entre as quais Hugh Grant.

Charlotte Church, que é apoiante do Partido Trabalhista, classificou a atitude de Cameron como "nojenta e misógina". "Eu e a Jacqui Hames [ex-detetive e apresentadora do programa Crime Watch] fomos colocadas ao lado dele para a fotografia mas ele mostrou desconsideração em relação a tudo o que dissemos. Isso aborreceu-me", explicou a cantora.

Church, que tem sido uma das figuras públicas britânicas mais ativistas na luta pelo acesso a cuidados de saúde públicos, afirmou ainda que não se importaria de pagar "70% de impostos" sobre os seus rendimentos se os serviços públicos fossem melhorados. "Pago os meus impostos desde os 12 anos e ficaria satisfeita se fossem aumentados para 60% ou 70%. Não emigraria nem abriria contas em offshore. Estaria totalmente de acordo com isso se o dinheiro fosse usado para melhorar as infraestruturas e os serviços públicos e se fosse seguido o modelo escandinavo, que considero muito mais progressista do que o nosso atual".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG