Mãe quer retomar contacto com filha adotiva de Angelina Jolie

A mãe biológica de Zahara Jolie-Pitt, filha adotiva de Angelina Jolie e Brad Pitt, assumiu querer voltar a estabelecer uma relação com a filha que deu para adoção com seis meses

Mentewab Dawit Lebiso, a mãe biológica da filha que Angelina Jolie adotou em 2005, recorreu à comunicação social para dar a conhecer o desejo de retomar contacto com Zahara Jolie-Pitt, a filha que deu para adoção há mais de uma década ao ex-casal norte-americano.

Numa entrevista concedida ao Daily Mail, Lebiso afirma não ter a intenção de recuperar a custódia de Zahara, atualmente com 12 anos de idade. "Só quero que ela saiba que estou viva e que gostaria de falar com ela", explicou à publicação britânica. "Não quero a minha filha de volta. Quero apenas estar em contacto com ela e ter a oportunidade de lhe ligar e falar com ela", disse.

Lebiso admitiu ainda que a atriz soube cuidar de Zahara, mas assume sentir falta da única filha, que deixou partir com seis meses de idade da Etiópia. "Penso nela todos os dias e há muito que gostaria de ouvir a sua voz ou ver o seu rosto". "Penso que não é pedir muito", confidenciou ao jornal. "Fico triste quando ela festeja o aniversário porque não posso comemorar com ela. [...] Gostaria de ter um contacto regular", pediu.

A mulher de 31 anos considera que esta é a altura adequada também para a filha a conhecer. "Mais tarde ou mais cedo, todos temos um fim e antes de morrer eu gostava que ela soubesse que tem uma família aqui na Etiópia", proferiu. "Gostava que soubesse que tem uma mãe que gosta dela tanto como a Angelina [Jolie]", acrescentou.

Angelina Jolie adotou Zahara em 2005 com apenas seis meses de idade. Na altura, a atriz era solteira. Um ano depois, quando assumiu a relação com Brad Pitt, o ator requereu legalmente a adoção da criança à semelhança de Maddox e Pax Jolie-Pitt. Aos três filhos adotivos juntam-se mais três biológicos: os gémeos Knox Léon e Vivienne Marcheline, e Shiloh Nouvel. Depois de anunciar o divórcio no final do ano passado alegando "diferenças irreconciliáveis", o ex-casal encontra-se atualmente num processo judicial para definir quem fica com a custódia dos menores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG