Polémica. Como Madonna pediu apoio à marcha anti-Trump

Madonna deixou as redes sociais em alvoroço ao publicar uma fotografia de partes íntimas femininas. Objetivo era convocar as mulheres para participarem na marcha anti-Trump marcada para dia 21

Ousada, desinibida, especialista em gerar controvérsia. Madonna voltou a dar provas da personalidade provocadora ao partilhar no Instagram uma fotografia de uma zona púbica depilada, apenas com o logótipo da Nike em destaque.

Apoiando-se no lema da marca desportiva - "Just Do It" -, a artista de 58 anos apelou às seguidoras para que participassem na Million Women March, um protesto contra Donald Trump marcado para o dia 21 de janeiro, um dia após este tomar posse, em Washington, como presidente dos EUA.

Apesar de estarem habituados à irreverência da intérprete de Like a Virgin, muitos foram os fãs que não reagiram bem à imagem publicada. "Isto é muito impróprio. Talvez devas crescer", lê-se num comentário. "Que bela forma de manter a classe e de envelhecer graciosamente", escreveu um outro internauta.

Até o jornalista britânico Piers Morgan recorreu às redes sociais para partilhar o desconforto. "Acabei de vomitar o pequeno-almoço. Literalmente", escreveu, no Twitter.

Para além de Madonna, a Marcha das Mulheres já recebeu o apoio de figuras como Amy Schumer, Katy Perry, Scarlett Johansoon, Cher, Julianne Moore, Frances McDormand, Debra Messing, Olivia Wilde ou Patricia Arquette.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG