Justin Bieber pede adiamento do julgamento

O julgamento do cantor canadiano, que foi detido a 23 de janeiro em Miami a conduzir sem carta de condução e sob o efeito de substâncias tóxicas, está agendado para 5 de maio. Os advogados de Bieber pediram um adiamento.

Os advogados de Justin Bieber, 20 anos, entregaram ontem, no Tribunal de Miami, um pedido de adiamento do julgamento do cantor pop, cujo início está marcado para 5 de maio. Amanhã, quarta-feira, vai realizar-se uma audiência em que o juiz decidirá se dá ou não mais tempo à defesa, sendo que os procuradores públicos não se opõem a um adiamento.

O cantor tem muitas questões para responder ao juiz, que lhe terá enviado 20 páginas com perguntas. Entre os pedidos do juiz estão a lista de pessoas e respetivos números de telefone de todas as pessoas que trabalharam e viajaram com Justin Bieber nos últimos dois anos.

Justin Bieber está acusado de condução sob o efeito de substâncias tóxicas, de resistir à prisão e de conduzir sem carta de condução válida, depois de ter sido detido, a 23 de janeiro, em Miami naquilo que as autoridades definiram como uma corrida ilegal de carros. O cantor acabou por ser libertado após umas horas na prisão mediante o pagamento de uma fiança de 2500 dólares.

Os testes à urina de Bieber, revelados posteriormente, detetaram a presença de marijuana e vestígios do princípio ativo do Xanax.

Este incidente levou 275 mil pessoas a assinarem uma petição a exigir a deportação de Justin Bieber para o Canadá. Segundo a lei, a Casa Branca tem de se pronunciar sobre o caso sempre que há mais de 100 mil assinaturas. "Desculpem desapontar, mas não vamos comentar este caso", reagiu, finalmente, este fim-de-semana. "Vamos deixar para outros os comentários, mas estamos felizes que se preocupem com a questão da imigração. Porque o nosso sistema atual está falido", diz, alertando para os empregadores que contratam trabalhadores ilegais e para as "11 milhões de pessoas que vivem nas sombra".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG