John Galliano é culpado mas escapa à prisão

O estilista britânico foi condenado pelo Tribunal de Paris ao pagamento de uma multa de seis mil euros por injúrias racistas e anti-semitas. Galliano não esteve presente na leitura da setença.

No entanto, a sentença prevê que o pagamento da multa fique sem efeito, caso o estilista não reincida no crime no prazo de cinco anos.

Galliano foi condenado a pagar 4.000 euros pelos factos ocorridos a 24 de Fevereiro num bar de Paris e a uma outra multa de 2.000 euros por um segundo incidente ocorrido a 08 de outubro de 2010 no mesmo estabelecimento.

O estilista não esteve presente no tribunal tendo sido representado pelo seu advogado, isto apesar da clínica de dexintoxicação lhe ter dado autorização para se deslocar a Paris.

Devido aos dois incidentes, o desenhador britânico foi despedido da casa Dior no dia 1 de Março e saiu da sua própria empresa que comercializa a marca Galiano.

Na anterior sessão do julgamento, a 22 de Junho, o estilista pediu desculpa pelas injúrias e reconheceu que estava sob o efeito de álcool e remédios e que por esse motivo não se recordava com exactidão dos incidentes.

Em tribunal, o costureiro pareceu abatido e confessou ter uma "tripla dependência": Álcool, soníferos e valium. Informou ainda que tinha passado dois meses a fazer uma cura de desintoxicação, primeiro no Arizona e depois na Suiça.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG