Irmãos Baldwin em "guerra" por causa de Trump

Dois dos irmãos Baldwin trocaram palavras no Twitter por apoiarem diferentes candidatos à Casa Branca

Os irmãos Stephen Baldwin e Billy Baldwin envolveram-se numa troca de palavras azeda na rede social Twitter tudo porque o primeiro é apoiante do candidato à Casa Branca Donald Trump. Aliás, o clã de atores está dividido, já que o irmão mais velho e mais famoso, Alec, também é apoiante de Hillary.

No Twitter, Stephen escreveu: "Se o meu pai fosse vivo hoje (um veterano) ele teria vergonha e nojo dos media tendenciosos e da manipulação de pessoas como Anderson Cooper", condenando a forma como o jornalista da CNN tem feito a cobertura das notícias sobre Trump.

Mas Billy Baldwin, apoiante de Hillary Clinton, respondeu ao irmão mais novo: "Se o nosso pai fosse vivo hoje... ele batia-te na cabeça por apoiares Donald Trump".

A resposta de Billy tornou-se viral, com mais de 2500 utilizadores do Twitter a partilharem a sua publicação e a elogiarem as suas palavras.

A "guerra entre irmãos" não ficou por aqui. Semanas mais tarde, numa entrevista à CBS News, Stephen disse não ter achado "muito engraçada" a atuação do irmão mais velho, Alec Baldwin, no programa Saturday Night Live, depois de este ter imitado Trump. "Ele tem a voz para baixo muito bem mas acho que começa a ficar um pouco desagradável neste momento"

Billy Baldwin não deixou de aproveitar a oportunidade para mais uma vez responder ao irmão Stephen: "O meu irmão Stephen pensa que a interpretação de Trump do Alec não é engraçada" e "Só prova o universo alternativo em que muitos apoiantes de Trump vivem".

Stephen Baldwin nunca respondeu às publicações do irmão, mas esta sexta-feira deixou no ar a ideia de que o dia de Ação de Graças na casa dos Baldwin pode ser um pouco diferente do habitual.

Entretanto, esta sexta-feira, Billy Baldwin, veio acalmar os ânimos e esclareceu que estava tudo bem entre si e o seu irmão, ao dizer no Twitter que adora o irmão mas sabe que o pai nunca iria apoiar a politica de um homem como Donald Trump.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG