Turista fotografou último jantar de James Gandolfini

Horas antes de morrer de enfarte, o ator James Gandolfini jantou num restaurante de Roma, cidade onde se encontrava para assistir a um festival de cinema. Os resultados da autópsia ao protagonista do mafioso Tony Soprano, de 51 anos, devem ser conhecidos hoje.

Descontraído e de pólo azul escuro é como James Gandolfini aparece nas fotografias tiradas por um turista e agora publicadas no New York Daily News naquele que pode ter sido o último jantar do ator antes de morrer, de enfarte, na noite de quarta para quinta-feira em Roma.

Por lei os médicos legistas italianos têm 24 horas para apresentar os resultados da autópsia após a entrada do corpo na morgue. No caso de Gandolfini os resultados devem ser conhecidos hoje.

O ator americano de origens italianas sofreu um enfarte e foi levado para o hospital Umberto I de Roma. Depois de vários minutos a tentar reanimá-lo, os médicos acabaram por declarar o óbito.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.