"Sou vossa aliada", diz Lady Gaga à comunidade LGBT 

A cantora apareceu de surpresa numa vigília pelas vítimas e deu um discurso emocionante

Lady Gaga fez um discurso emocionante esta segunda-feira em memória das vítimas do atentado de Orlando. A cantora apareceu de surpresa numa vigília organizada para honrar as 49 pessoas que foram assassinadas no sábado na discoteca 'gay' Pulse e demonstrou o seu apoio pela comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros (LGBT) de todo o mundo. "Isto foi um ataque contra a humanidade", disse, frustrada.

No discurso, Lady Gaga declarou-se uma aliada da comunidade LGBT, enquanto dirigia uma mensagem de apoio e força aos familiares das vítimas, às centenas de pessoas presentes e a todos os membros da comunidade.

No encontro, várias pessoas pediram justiça para as vítimas, mas Gaga afirmou que "não iria deixar a raiva e a indignação ofuscarem a necessidade de consolar aqueles que estão realmente a sofrer".

"Eles são filhos e filhas e pais e mães. Eles são todos nossos irmãos e irmãs", disse a cantora com lágrimas nos olhos, pedindo também que todos fizesses "um juramento de amor em honra das vítimas e das famílias".

"Hoje à noite, eu junto-me humildemente a vocês, como um ser humano, em paz e sinceridade, com compromisso e solidariedade, para ter um momento de verdade e lamentar a perda trágica dessas pessoas inocentes e lindas", continuou a cantora.

No final do discurso, Lady Gaga disse o nome de cada uma das 49 vítimas.

Na segunda-feira, a cantora participou ainda em outra vigília em memória das vítimas.

Lady Gaga tinha já demonstrado todo o seu espanto e repúdio pelo atentado nas redes sociais. No Twitter, a cantora escreveu que o amor é o oposto do ódio e pediu a todos para se manterem fortes.

Lady Gaga ia aparecer no evento Emmy For Your Consideration: American Horror Story mas o evento foi cancelado por respeito às vítimas do atentado, segundo o Huffington Post.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.