Scarlett Johansson comete o maior "pecado" da Gala MET. E ganha!

O vestido era floral, feminino, clássico e elegante. Em certa medida, a escolha que a atriz Scarlett Johansson fez para comparecer na passadeira vermelha da gala MET de 2018 quase que passava na absoluta discrição quando se assiste a um festival de pecados, provocações e exuberância em torno da simbologia da Igreja Católica. Mas, olhando ao detalhe, não é bem assim e a estrela de Hollywood escolheu passar a mais contundente das mensagens para as mulheres, dando eco a um "pecado" que tem estado na ordem do dia: o assédio sexual. Johansson usou um vestido da casa Marchesa, nada mais, [...]

Para saber mais clique aqui: www.delas.pt

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.