Sara Sampaio, Heidi Klum e Julia Roberts unidas na luta contra a fome

A campanha do estilista Michael Kors, Watch Hunger Stop, que pretende combater a fome a nível mundial, conta com a participação de Sara Sampaio, Julia Roberts, Heidi Klum e Kate Hudson, entre outras mulheres.

Para coincidir com o Dia Mundial da Alimentação, que se celebrou no domingo à escala global, Michael Kors lançou a quarta edição da sua campanha anual Watch Hunger Stop, com o objetivo de lutar contra a fome no mundo.

E para o ajudar nesta missão, à semelhança do que tem acontecido no passado, o estilista norte-americano convidou várias figuras públicas para promover a iniciativa, a maioria delas mulheres.

Kate Hudson [que é também a embaixadora do projeto], Julia Roberts, Heidi Klum, Sara Sampaio, Zendaya, Chanel Iman, Taylor Hill, Blanca Suárez, Alessandra Ambrosio e Rachel Zoe, entre outras, não hesitaram em colaborar com a iniciativa e tiraram fotografias com a T-shirt oficial da campanha, partilhando-as depois nas redes sociais com a hashtag #WatchHungerStop.

As famosas apelam ao público para que faça o mesmo, até porque, por cada publicação que contenha estas mesmas T-shirt e hashtag são entregues 25 refeições ao World Food Programme, das Nações Unidas, que ajuda quem passa fome no mundo. Foi ainda criada uma pulseira alusiva à campanha, cuja venda de um único exemplar equivale a 100 refeições para os que mais precisam atualmente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).