Resultados da autópsia a George Michael foram inconclusivos

Será necessário realizar novos testes, que só serão conhecidos daqui a "várias semanas"

A autópsia ao corpo de George Michael foi inconclusiva e será necessário aguardar "várias semanas" pelos resultados de novos testes que serão agora realizados. A informação foi divulgada esta sexta-feira pela polícia de Thames Valley, que foi chamada a intervir no dia da morte do cantor, encontrado sem vida em casa em Goring, Oxfordshire, no Reino Unido, no dia de Natal.

"Uma autópsia foi realizada ontem (29/12) como parte da investigação à morte de George Michael. A causa da morte foi inconclusiva e serão realizados mais exames. Os resultados só deverão ser conhecidos daqui a várias semanas", refere o comunicado das autoridades, que conclui que a morte do cantor está a ser tratada como "inexplicada mas não suspeita".

George Michael morreu no dia 25 de dezembro, aos 53 anos. Foi encontrado morto pelo namorado, o libanês Fadi Fawad.

Nascido Georgios Kyriacos Panayiotou, em 1963, filho de um imigrante cipriota e de mãe inglesa de família judia, George Michael fundou os Wham! com Andrew Ridgeley, que conheceu na escola secundária.

Todos os singles lançados pelos Wham! ao longo de quatro anos chegaram ao Top 10 britânico. Quando decidiram acabar, em 1986, lançaram um best of e encheram o estádio de Wembley.

Com 23 anos, George Michael vendia mais discos do que Michael Jackson ou Prince. Faith, lançado em 1987, foi o seu maior sucesso de sempre. A carreira a solo revelou um cantor e compositor mais maduro e sempre ousado - muitas das suas canções transpiravam sexo mesmo antes de em 1998, graças a um triste episódio numa casa de banho em Beverly Hills, o mundo descobrir que o cantor de Freedom 90 era homossexual. Listen Without Prejudice (1990) é considerado por muitos críticos como o seu melhor álbum.

Ao longo da sua carreira, George Michael vendeu mais de 100 milhões de álbuns em todo o mundo.

Ler mais

Exclusivos