O vídeo ternurento de Kanye West para Kim Kardashian

A filmagem, com mais de cinco minutos, mostra momentos da empresária em família quando ainda era criança

Talvez seja um dos maiores presentes que já recebeu. Porque apela à saudade, à família, aos bons momentos da sua infância. Esta sexta-feira, dia em que Kim Kardashian celebrou o 36º aniversário, Kanye West não lhe deu a prometida festa em Las Vegas - cancelada por causa do assalto que vitimou a empresária -, mas surpreendeu-a com um vídeo partilhado nas redes sociais.

A filmagem mostra momentos de ternura da socialite em criança. Ao lado do pai, o advogado Robert Kardashian, que morreu em 2003, e das irmãs Kourtney e Khloe, e ainda da mãe, Kris Jenner, Kim mostra-se uma rapariga alegre e os momentos de cumplicidade em família são visíveis.

A montagem foi publicada pelo rapper com a legenda "parabéns querida" e, no final do vídeo, escreveu "amo-te". Kim Kardashian e Kanye West estão casados desde maio de 2014. São pais de North West, de três anos e meio, e de Saint West, com 11 meses.

Também a mãe da estrela do reality show televisivo Keep up With the Kardashians recorreu aos arquivos da família para mostrar um pequeno vídeo, também este filmado por Robert Kardashian, da filha quando tinha dois anos.

Já a irmã Kourtney mostrou nas redes sociais uma fotografia dela com Kim quando eram crianças. "Sinto-me mais do que abençoada por te ter ao meu lado durante toda a vida, além daqueles primeiros 18 meses solitários", escreveu Kourtney, a mais velha das três irmãs.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.