O que fazem eles por um bom café? Cantam Otis Redding no Chiado

Jorge Palma, Wanda Stewart e Olavo Billac foram alguns dos músicos que, no lançamento da nova campanha da Nescafé Dolce Gusto, cantaram o clássico de Otis Redding que a inspira. Veja o vídeo.

(Sittin' On) The Dock of the Bay é um dos temas mais marcantes dos anos 60 e 70. Escrita por Otis Redding, esta é a música que inspira agora a nova campanha da Nescafé Dolce Gusto, que conta com a participação especial do músico e produtor norte-americano will.i.am.

O lançamento do projeto decorreu esta sexta-feira ao final da tarde no Chiado, em Lisboa. Jorge Palma, Wanda Stuart, Luís Represas, Olavo Billac, FF, Mafalda Arnauth, Sérgio Rosado, Ricardo Carriço, Miguel Ângelo, Tozé Brito, Nuno Guerreiro e Zé Manel Darko foram alguns dos músicos portugueses que estiveram presentes e que, desafiados, mostraram os seus dotes vocais.

A meio do evento, pouco antes de o barista sueco Ola Persson (que participa na campanha com o cantor dos Black Eyed Peas) ensinar a preparar alguns tipos de café, o clássico de Otis Redding começou a soar e o microfone foi rodando pela sala para que os convidados mostrassem o que valem. Jorge Palma foi quem recebeu mais aplausos, mas Wanda Stuart, Olavo Billac, April Ivy e Nuno Guerreiro, entre outros, também soltaram a voz.

Assista ao vídeo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."