"Não vou descansar até descobrir quem é o meu pai"

Manequim Luís Borges, convidado deste sábado do Alta Definição, falou sobre infância dramática

Numa entrevista emotiva no programa Alta Definição, exibido este sábado na SIC, o manequim recordou alguns momentos dolorosos da sua infância, nomeadamente quando foi abandonado pela mãe biológica. "A minha progenitora deixou-me num quarto de pensão e foi comprar droga para consumir nessa noite. Pediu à senhora da pensão para cuidar de mim e não voltou. Foi presa pela polícia e deportada para Cabo Verde. Teve a opção de me levar a mim e ao meu irmão com ela, mas disse que não queria", disse em conversa com Daniel Oliveira.

Vinte anos depois, Luís Borges voltou a encontrar-se com a mãe biológica, em Lisboa. Filho de pai incógnito, o manequim confrontou a progenitora com a identidade do seu progenitor e ficou chocado com aquilo que ouviu. "Um dia, em conversa, quis saber quem era o meu pai e ela simplesmente disse que não sabia se era um francês ou um sueco. Essas coisas não se dizem a um filho", revelou, acrescentando momentos depois: "Não vou descansar até descobrir quem é o meu pai".

O modelo revelou no programa que a progenitora lhe disse também: "Tens muita sorte de eu não te ter posto num caixote do lixo".

Luís Borges também falou sobre o casamento com o hairstylist Eduardo Beauté. "Quando conheci o Eduardo percebi o que era o amor". O modelo revelou que passou por sérias dificuldades económicas quando se mudou de Castelo Branco para Lisboa e que houve dias em que apenas comia "massa com atum". Nessa altura contou com a ajuda do atual marido, que chegou comprar-lhe comida.

Ler mais

Exclusivos