Miss Colômbia para Steve Harvey: "Tem de aprender a ler cartões"

Ariadna Gutiérrez voltou a estar com o apresentador que, por lapso, anunciou que era Miss Universo 2015

Cerca de um mês depois de terem protagonizado um momento insólito no concurso Miss Universo 2015, o apresentador Steve Harvey e a miss Colômbia Ariadna Gutiérrez, que chegou a ser anunciada como a grande vencedora por engano, estiveram frente a frente.

Num especial do programa "Steve Harvey Show", intitulado Miss Universe: The Truth (Miss Universo: A Verdade), a jovem falou sobre aquilo que sentiu ao ter-se apercebido de que, afinal, não era ela a Miss Universo. "Foi um pesadelo. [...] Eu não podia acreditar que aquilo tinha acontecido comigo. Eu precisava de tempo com a minha família para pensar no que fazer", revelou.

Apesar da gaffe cometida por Steve Harvey, Ariadna Gutiérrez mostrou-se bem-disposta e fez várias piadas. "Você tem de aprender a ler cartões. Estava lá. Mas sabe o que aconteceu? Você queria que eu ganhasse", afirmou, divertida.

O apresentador, por seu turno, mostrou-se arrependido pelo erro e pediu desculpas a Gutiérrez. "Você é a única pessoa com quem queria conversar. Por causa de um erro que eu fiz, coloquei-a numa posição onde você nunca deveria ter estado", destacou Harvey.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?