Meaghan Benfeito: esta medalha de bronze também é portuguesa

Atleta luso-canadiana de 27 anos venceu duas medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Meaghan é filha e neta de portugueses, oriundos da ilha de São Miguel, Açores

A luso-canadiana Meaghan Benfeito, atleta de saltos para a água e especialista em plataforma, venceu esta quinta-feira a sua terceira medalha olímpica. Filha de Arthur Benfeito e Margarida Correia, filhos de emigrantes oriundos de Porto Formoso, São Miguel, Açores, Meaghan e a sua colega de equipa, Roseline Filion, ficaram na terceira posição na modalidade de salto sincronizado plataforma 10 metros.

A luso-canadiana que vive em Montréal, Quebec, já tinha vencido uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Meaghan tem duas irmãs mais novas, Alicia e Chelsea. Arthur Benfeito, pai da atleta, é carteiro nos correios canadianos. A luso-canadiana começou a praticar saltos para a água aos sete anos e, aos 12, já entrava em competições. Estes são os seus terceiros Jogos Olímpicos, depois de Pequim e de Londres.

Nas redes sociais, Meaghan partilha fotografias com os pais, as irmãs e também os avós maternos e paternos, que emigraram para o Canadá há várias décadas em busca de uma vida melhor.

A luso-canadiana festejou de forma efusiva a vitória de Portugal no Euro 2016.

Em 2014, Meaghan recebeu a Insígnia Autonómica de Reconhecimento, entregue pelo presidente da região autónoma dos Açores, Vasco Cordeiro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).