Meaghan Benfeito: esta medalha de bronze também é portuguesa

Atleta luso-canadiana de 27 anos venceu duas medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Meaghan é filha e neta de portugueses, oriundos da ilha de São Miguel, Açores

A luso-canadiana Meaghan Benfeito, atleta de saltos para a água e especialista em plataforma, venceu esta quinta-feira a sua terceira medalha olímpica. Filha de Arthur Benfeito e Margarida Correia, filhos de emigrantes oriundos de Porto Formoso, São Miguel, Açores, Meaghan e a sua colega de equipa, Roseline Filion, ficaram na terceira posição na modalidade de salto sincronizado plataforma 10 metros.

A luso-canadiana que vive em Montréal, Quebec, já tinha vencido uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Meaghan tem duas irmãs mais novas, Alicia e Chelsea. Arthur Benfeito, pai da atleta, é carteiro nos correios canadianos. A luso-canadiana começou a praticar saltos para a água aos sete anos e, aos 12, já entrava em competições. Estes são os seus terceiros Jogos Olímpicos, depois de Pequim e de Londres.

Nas redes sociais, Meaghan partilha fotografias com os pais, as irmãs e também os avós maternos e paternos, que emigraram para o Canadá há várias décadas em busca de uma vida melhor.

A luso-canadiana festejou de forma efusiva a vitória de Portugal no Euro 2016.

Em 2014, Meaghan recebeu a Insígnia Autonómica de Reconhecimento, entregue pelo presidente da região autónoma dos Açores, Vasco Cordeiro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".