Lady Gaga cantou com quase um milhão de euros na cabeça

Numa das suas atuações no Victoria's Fashion Show, a artista usou um chapéu avaliado em um milhão de dólares (cerca de 942 mil euros)

As peças de lingerie apresentadas no Victoria's Secret Fashion Show do passado dia 30 não foram as únicas milionárias a desfilar pelo palco do Grand Palais, em Paris. Lady Gaga, uma das artistas musicais convidadas a animar o evento, usou numa das suas atuações um chapéu avaliado em um milhão de dólares (cerca de 942 mil euros).

A Gladys Tamez Millinery de Los Angeles, onde todos os chapéus são fabricados à mão, foi a responsável pelo acessório levado pela cantora norte-americana e composto por 45700 cristais Swarovski. No total, foram 300 horas de trabalho por uma equipa de dez especialistas, conta a revista WWD.

Esta não é a primeira vez que a intérprete usa chapéus da Gladys Tamez Millinery. Na capa do seu mais recente álbum, Joanne, utiliza uma peça cor-de-rosa da mesma marca, e na gala dos American Music Awards de novembro envergou um outro, branco.

Durante o Victoria's Secret Fashion Show, Lady Gaga exibiu três looks diferentes: um vestido comprido com motivos florais da marca espanhola Yolan Cris, um jumpsuit preto de Saint Laurent e um top e uma saia comprida de Azzedine Alaïa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.