Jovem processa R Kelly por abuso e diz que ele a infetou com uma DST

Mais uma alegação que envolve o cantor de 51 anos. Faith Rodgers fala ainda num contexto de "mestre e escravos" entre o artista e quem o rodeia

Faith Rodgers, de 19 anos, conheceu R Kelly em 2017 e tiveram uma relação durante quase um ano. Agora, a jovem colocou um processo em tribunal contra o artista de 51 anos, que tem estado envolvido em várias polémicas relativas a casos de alegado abuso sexual. Inclusivamente, plataformas como o Spotify já não têm a música de R Kelly, na sequência de um movimento que apelou a um boicote ao artista.

Em entrevista à BBC, contou que se conheceram no Texas e, em maio de 2017, apanhou um voo para Nova Iorque para assistir a um concerto do cantor. Às seis da manhã recebeu uma chamada de R Kelly e este foi até ao hotel da jovem, onde ordenou depois que ela se despisse. Faith Rodgers diz que o comportamento foi "bastante agressivo" e que "congelou" quando o artista tentou ter sexo com ela.

"Disse-lhe que não estava pronta", afirmou a jovem. No entanto, R Kelly forçou-a a ter relações sexuais, enquanto dizia coisas "degradantes". A jovem viria a descobrir depois ter contraído herpes do cantor.

Faith Rodgers diz que foi abusada, fisicamente e verbalmente, e conta episódios de sexo forçado que foram, inclusivamente, dolorosos, incluindo antes de um concerto em que R Kelly ignorou quem o chamava para subir a palco. Diz também ter sido obrigada a fazer coisas enquanto era filmada com as quais não se sentia "confortável".

Revela ainda que ele tentou que ela assinasse um contrato, mas que não aceitou.

"Ele é o mestre e os outros são escravos", acrescenta ainda, explicando um conjunto de regras na entourage do cantor, que incluem levantar-se quando ele entra ou dar-lhe um beijo na boca sempre que ele chega a algum local.

R Kelly e os seus representantes têm negado todas as alegações ao longo dos últimos meses.

As primeiras acusações de abusos sexuais contra o artista - nascido Robert Sylvester Kelly - surgiram ainda nos anos 1990. Em 1996, chegou a acordo fora dos tribunais com Tiffany Hawkins, que o acusava de ter mantido uma relação sexual com ela quando tinha 15 anos. Em 2008, acabou ilibado das acusações de pornografia infantil, depois de ter sido acusado de manter e filmar encontros sexuais com uma adolescente de 14 anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.