Harvey Weinstein entrega-se à polícia em Nova Iorque 

Weinstein enfrenta acusações relativas a agressões sexuais

O produtor Harvey Weinstein entregou-se esta sexta-feira em esquadra de Nova Iorque, em Manhattan. Nos últimos meses, Weinstein foi acusado de assédio e crimes sexuais por mais de 70 mulheres, com relatos que se estendem ao longo de décadas. Hoje foi indiciado por violação e abuso sexual de duas mulheres.

Segundo a CNN, o produtor é acusado de ter violado uma das vítimas e de ter forçado a outra a fazer-lhe sexo oral. Weinstein deverá ser ouvido em tribunal ainda hoje, ao final do dia.

Weinstein enfrenta acusações relativas a agressões sexuais de pelo menos uma mulher, Lucia Evans, segundo disseram fontes da polícia nova-iorquina ao The New York Times.

Foram as denúncias de várias atrizes contra o produtor de Hollywood, um dos homens mais poderosos do cinema, agora caído em desgraça, que deram origem ao movimento #metoo.

Weinstein chegou à esquadra por volta das 7.25 (12.25 na hora de Lisboa), onde era esperado por dezenas de jornalistas. Embora tenha assumido que teve comportamentos inapropriados, Weinstein negou sempre ter violado alguém.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.