Harvey Weinstein apresenta-se sexta-feira às autoridades nova-iorquinas

O produtor está ainda a ser investigado Londres e Los Angeles

O produtor cinematográfico norte-americano Harvey Weinstein, acusado de agressões sexuais por dezenas de mulheres, vai apresentar-se na sexta-feira às autoridades judiciais nova-iorquinas, noticiou a imprensa norte-americana.

As primeiras acusações de agressões sexuais e violações contra o todo-poderoso produtor de 66 anos surgiram em outubro de 2017, no âmbito do movimento #MeToo, em Hollywood, que levou as suas vítimas a identificarem-se e a divulgarem publicamente os abusos de que tinham sido alvo.

O advogado de Weinstein, Ben Brafman, inquirido sobre as circunstâncias desta apresentação do seu cliente às autoridades, escusou-se a emitir qualquer comentário.

Segundo o jornal New York Daily News, Weinstein -- que desapareceu do olhar público a partir das primeiras revelações que o envolviam e estava supostamente a receber tratamento para viciados em sexo no Estado do Arizona -- poderá ser na sexta-feira formalmente acusado de pelo menos um crime sexual, que remonta a 2004.

Trata-se da queixa apresentada por Lucia Evans, uma atriz estreante na altura, que afirma que o produtor a forçou a fazer-lhe sexo oral.

Em novembro, a polícia nova-iorquina indicou ter "um verdadeiro caso" contra Harvey Weinstein, que também está a ser alvo de investigação em Los Angeles e Londres.

Na sexta-feira, a confirmar-se a acusação formal, será a primeira contra o multimilionário caído em desgraça.

No total, mais de uma centena de mulheres testemunhou que o produtor de Hollywood tinha abusado sexualmente delas, um escândalo que desencadeou a campanha #Time'sUp, que levou à queda de centenas de homens em lugares de poder de numerosos setores.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).