Gwyneth Paltrow convida amigas para falar com os mortos

"Gostamos do inexplicável e do inexplorado", disse a atriz, que organizou uma conferência espiritual no último fim de semana

Gwyneth Paltrow organizou uma conferência espiritual em Nova Iorque para a qual convidou médiuns, curandeiros e tarólogos e convidou cerca de 600 participantes. O bilhete mais barato para quem quis aproveitar a ocasião para "falar com os mortos" custava 520 euros.

De acordo com o El País, no evento, que decorreu no último fim de semana, os participantes foram receibidos com luxuosos sapatos de couro enquanto esperavam pelos painéis organizados por celebridades, médicos e influenciadores da área do bem-estar. A conferência incluiu ainda tratamentos de spa alternativos, um menu de vitaminas sem glúten e meditação sonora.

Foi a própria atriz que acolheu os participantes e apresentou várias das conferências.

"Gostamos da ciência e dos dados e tomamos muitas decisões usando os factos, mas também gostamos do inexplicável e do inexplorado", afirmou Gwyneth Paltrow.

Durante o fim-de-semana houve ainda plaestras onde nutricionistasdefenderam que a cor dos alimentos tem influência na química do cérebro, assim como depoimentos de pessoas que duvidam que exista SIDA, médicos que rejeitam a vacinação e apostam na medicina chinesa. Houve ainda quem tivesse subido ao palco para afirmar que a morte... não existe.

A atriz é também conhecida pelos excêntricos conselhos que dá aos leitores do Goop, o site sobre estilo de vida que Paltrow fundou em 2008, como tratamentos cosméticos onde as mulheres são mordidas por abelhas ou usar a sauna como remédio para a gripe.

Paltrow publicou uma fotografia no seu Instagram, acompanhada por várias amigas, como as também atrizes Drew Barrymore, Laura Linney, Chelsea Handler e a ex-editora-chefe da "Teen Vogue", Elaine Welteroth.

Apesar de não ter confirmado se todas essas mulheres participaram na conferência, a atriz legendou a imagem com a seguinte frase. "Obrigada a este pequeno gangue pelo seu brilho. Que dia incrível ".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...