Ex-Miss Universo queixa-se: "Trump chamava-me 'Miss Piggy'"

Alicia Machado acusa Donald Trump de a ter maltratado, pois humilhava-a constantemente e gozava com o seu peso e sotaque. "Ele não é uma boa pessoa"

A ex-Miss Universo Alicia Machado acusa Donald Trump de a ter a ter maltratado, pois gozava com ela "a todo o momento" e humilhava-a publicamente. Alicia foi eleita Miss Universo em 1996, com 19 anos, e na altura, o concurso de beleza pertencia a Donald Trump. Pouco tempo depois do concurso ganhou peso, cerca de 20 quilos, o que foi motivo para Trump começar a chamá-la de "Miss Piggy" e "Miss Housekeeper" (miss empregada, em português).

Numa entrevista ao Inside Edition, a venezuelana contou como era a sua relação com Donald Trump e acusou-o de ter afetado gravemente a sua autoestima.

Em entrevistas, Donald Trump chamava Alicia Machado de "máquina de comer". Em privado, gozava com o seu sotaque e chamava-a de miss empregada, uma referência às mulheres latinas que trabalham nos Estados Unidos como empregadas domésticas. "Ele não é uma boa pessoa", afirmou Alicia.

A história foi contada pela primeira vez pelo The New York Times. O jornal norte-americano fez um trabalho de investigação para analisar as relações privadas entre o candidato republicano à Casa Branca e as mulheres. O dossiê tem como objetivo perceber se as frequentes acusações de sexismo de que Trump é vítima têm fundamento e conta com testemunhos de várias mulheres que conviveram com o candidato. Alicia é uma dessas mulheres e descreve encontros muito pouco agradáveis com o empresário.

Para Alicia, o ponto mais alto da humilhação foi quando Donald Trump levou a modelo a Nova Iorque e a obrigou a ir ao ginásio do hotel onde estava hospedada. Sem o conhecimento da jovem, Trump tinha convocado uma conferência de imprensa e obrigou Alicia a treinar em frente às câmaras de dezenas de meios de comunicação, para mostrar que a miss voltaria a recuperar a forma.

"Eu estava prestes a chorar. Eu disse-lhe 'não quero fazer isto, Sr. Trump', e ele disse 'Não quero saber", contou a ex-miss universo.

"Ela pesava cerca de 53 quilos e agora pesa entre 72 e 77 quilos, então obviamente ela gosta de comer", disse Trump, no mesmo dia, aos jornais.

"Depois desse episódio, eu fiquei doente, com anorexia e bulimia durante cinco anos", afirmou Alicia, que é agora atriz. Alicia passou "os últimos 20 anos em psicólogos para combater a doença".

Trump admitiu que pressionou a jovem a emagrecer, sem mostrar remorsos pela forma como o fez, e disse, na conferência de imprensa, que faria o mesmo com a mulher se ela engordasse.

Quando o jornalista do Inside Edition perguntou a Alicia Machado, que se vai tornar uma cidadã americana em breve, se vai votar em Donald Trump, a ex-miss riu-se, mas não respondeu.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Os deuses das moscas

Com a idade, tendemos a olhar para o passado em jeito de balanço; mas, curiosamente, arrependemo-nos sobretudo do que não fizemos nem vamos já a tempo de fazer. Cá em casa, tentamos, mesmo assim, combater o vazio mostrando um ao outro o que foi a nossa vida antes de estarmos juntos e revisitando os lugares que nos marcaram. Já fomos, por exemplo, a Macieira de Cambra em busca de uma rapariga com quem o Manel dançara um Verão inteiro (e encontrámo-la, mas era tudo menos uma rapariga); e, mais recentemente, por causa de um casamento no Gerês, fizemos um desvio para eu ir ver o hotel das termas onde ele passava férias com os avós quando era adolescente. Ainda hoje o Manel me fala com saudade daqueles julhos pachorrentos, entre passeios ao rio Homem e jogos de cartas numa varanda larga onde as senhoras inventavam napperons e mexericos, enquanto os maridos, de barrigas fartas de tripas e francesinhas no ano inteiro, tratavam dos intestinos com as águas milagrosas de Caldelas. Nas redondezas, havia, ao que parece, uma imensidão de campos; e, por causa das vacas que ali pastavam, os hóspedes não conseguiam dar descanso aos mata-moscas, ameaçados pelas ferradelas das danadas que, não bastando zumbirem irritantemente, ainda tinham o hábito de pousar onde se sabe.