Elton John. A celebridade mais generosa

J. K. Rowling e David Beckham também figuram na lista do "Sunday Times"

Sir Elton John. Um nome incontornável da música, mas também da solidariedade. O cantor britânico de 69 anos acaba de ser eleito pelo jornal Sunday Times a celebridade mais generosa, por ter doado durante o ano passado 26,8 milhões de libras (cerca de 33,7 milhões de euros), sobretudo a instituições que alertam para o vírus do VIH e combatem o preconceito contra o mesmo.

Em segundo lugar desse ranking surge a autora da saga Harry Potter, J. K. Rowling, que contribuiu com 10,3 milhões de libras (13 milhões de euros), através da sua própria Fundação Lumos, para acabar com a institucionalização de crianças até 2050, e através da Volant Charitable Trust, que financia estudos científicos sobre a esclerose múltipla, doença que retirou a vida à sua mãe.

A publicação britânica, que rastreou as doações feitas por mais de 300 celebridades, irá publicar a lista completa na edição do próximo domingo. Entre as personalidades distinguidas destacam-se ainda David Beckham (em terceiro lugar, com 6,2 milhões de euros doados a instituições de crianças), os Coldplay (em quinto, com 2,1 milhões), Ringo Starr (em sexto, com dois milhões angariados através do leilão de peças dos Beatles) e Jamie Oliver (em sétimo, com 1,7 milhões doados).

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.