Ed Sheeran não quer repetir "as asneiras de Elton John"

Ed Sheeran não se deixa iludir com o lado mediático da sua profissão e revela ter aprendido com as asneiras que Elton John cometeu quando era mais novo

Em entrevista ao Daily Telegraph, o cantor britânico Ed Sheeran, que alcançou a fama em 2011, revela que a vida de uma celebridade não é tão glamorosa quanto muitos possam pensar e que um outro cantor, Elton John, foi umas das suas inspirações para não perder o rumo.

"Muitas pessoas entram em declínio [depois da fama]. Compreendo isso perfeitamente", começa por explicar o artista de 26 anos. "Vejo o Elton John e as asneiras que fez quando era mais novo. Aprendi muito com isso", confidenciou.

O compositor, que fez um intervalo na carreira no ano passado, lançou esta sexta-feira o terceiro álbum Divide. Durante esta pausa, Sheeran ganhou 23 quilos. "Dupliquei o tamanho das minhas roupas. A única coisa que me servia eram calças de fato de treino. Cheguei a pensar que a roupa tinha encolhido nas lavagens, mas não era verdade", recordou ao programa de rádio The Breakfast Club. "Parei de dar concertos e continuei a minha dieta à base de cerveja e pizza, prosseguiu.

Prestes a regressar às luzes da ribalta, o cantor abraçou um estilo de vida mais saudável e perdeu peso graças ao exercício físico. "Corro dez minutos por dia, com intervalos de trinta segundos de sprint e trinta segundos de jogging". "O segredo é não falhar um único dia, para não ter de correr uma hora", rematou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.