Despedido de série após acusações de assédio sexual

Jeffrey Tambor disse que a investigação teve falhas e é produto da atmosfera politizada tóxica que se vivia nas gravações

A quinta temporada da série Transparent não contará com a participação de Jeffrey Tambor, o intérprete da personagem transgénero Maura Pfefferman. O ator foi despedido depois de acusações de assédio sexual por parte de uma atriz do elenco.

Foi em novembro que Trace Lysette, atriz transgénero, acusou Tambor de conduta imprópria, já depois de a assistente pessoal do ator, transexual, se ter queixado de comentários obscenos e apalpões. A atriz escreveu no Twitter que Jeffrey Tambor se aproximou dela, colocou os pés sobre os dela impedindo-a de se mover, e começou a fazer movimentos rápidos com o corpo para a frente a para trás. "Senti o pénis dele na minha anca através do seu pijama fino", disse.

A situação terá ocorrido durante a gravação de uma cena da segunda temporada da série e a terceira pessoa que participava, a atriz transgénero Alexandra Billings, corroborou as acusações.

Depois disso, Jeffrey Tambor pediu desculpa pelo "temperamento volátil e mal-humorado", mas garantiu não ser um predador. Além disso, admitiu que perante o ambiente que se vivia nas gravações na sequência das acusações, se iria afastar da série.

Até esta quinta-feira não houve decisões oficiais acerca da continuidade de Jeffrey Tambor em Transparent. A Amazon anunciou finalmente que o ator vai abandonar a produção e que estão a ser tomadas medidas para assegurar que há segurança e dignidade nos bastidores. Jill Soloway, criadora da série, elogiou ainda a coragem das denunciadoras.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.