Cory Monteith morreu de overdose de álcool e heroína

O ator Cory Monteith, encontrado morto este sábado no seu quarto de hotel na cidade canadiana de Vancouver, morreu de uma overdose de álcool e heroína, de acordo com o gabinete de Medicina Legal da Colúmbia Britânica.

A atriz Lea Michele, namorada de Cory e que também participa na série Glee, encontra-se junto da família do jovem, de acordo com um comunicado emitido pelo seu representante depois de conhecido do relatório da autópsia.

"Lea está profundamente agradecida por todo o amor e apoio que tem recebido da família, amigos e fãs. Desde a morte de Cory, Lea tem estado a fazer luto com a família dele e a fazer os preparativos necessários com eles", diz o comunicado citado pelo site da revista People.

Cory Monteith, que dava vida ao estudante Finn Hudson na comédia musical "Glee", tinha decidido em abril internar-se de forma voluntária num centro de reabilitação para tratar a sua dependência de estupefacientes.

Foi a segunda vez que o ator de 31 anos ingressou numa instituição para combater a toxicodependência. A primeira vez aconteceu quando Cory Monteith tinha 19 anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.