Atleta olímpico foi de arnês para a Passadeira Vermelha

Adam Rippon, 28 anos, o primeito atleta gay norte-americano a competir nos Jogos Olímpicos de Inverno, quebrou completamente o "dress code" da Passadeira Vermelha dos Óscares ao usar um arnês debaixo do smoking

Quem disse que não se pode quebrar a tradição na Passadeira Vermelha dos Óscares? Nesta 90ª edição, a ousadia coube ao patinador norte-americano Adam Rippon, de 28 anos, o atleta olímpico que foi o primeiro norte-americano gay a competir nos Jogos Olímpicos de inverno. Rippon usou um arnês por baixo do smoking preto, para além de um laço preto ao pescoço e de uns sapatos sem meias. Só para ser diferente.

Um visual da Moschino inspirado no sadomasoquismo que conquistou muitos fãs nas redes sociais assim que a fatiota foi parar à internet, contou o The New York Times.

"Algures no Céu, Oscar Wilde, Harvey Milk, James Baldwin e Michelangelo acabaram de partilhar uma margarita", brincou no twitter Chris Rovzar, da consultora Bloomberg.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.