Antigo guarda-costas acusa Elton John de assédio sexual

Advogados do músico negam acusações. Guarda-costas trabalhou para Elton John entre 2002 e 2014

Um antigo guarda-costas de Elton John processo o músico, acusando-o de assédio sexual e agressão no sul da Califórnia, de acordo com documentos do tribunal. Os toques indesejados ocorreram em diversas ocasiões durante vários anos, desde que Jeffrey Wenninger começou a trabalhar como guarda-costas em 2002. Foram aumentando em frequência e intensidade depois de 2010, segundo se lê no processo, citado pela Reuters. Os advogados do músico de 69 anos, que é casado com o produtor David Furnish, consideram que a acusação não tem fundamento.

Orin Snyder, um dos advogados de Elton John, afirmou que o processo "foi criado por um antigo segurança descontente e que procura conseguir um pagamento que não merece". "Estas alegações não são verdade e contradizem inúmeras declarações feitas por este queixoso", salientou.

De acordo com o processo entregue na segunda-feira num tribunal de Los Angeles, Wenninger trabalhou como guarda-costas de Elton John até setembro de 2014. Em três ocasiões, em 2014, enquanto o guarda-costas conduzia o carro do músico entre as casas deste em Los Angeles, Elton John terá alegadamente agarrado as calças de Wenninger, tentou agarrar-lhe nos genitais e meteu-lhe a mão na camisa do guarda-costas para mexer nos mamilos. O cantor britânico é ainda acusado de fazer comentários como "diz olá ao tio John", segundo o processo. Wenninger terá tentado resistir física e verbalmente a Elton John, mas o músico terá continuado com o mesmo comportamento.

O processo tem como objetivo compensações não especificadas por danos físicos, mentais e emocionais e também por perda de ordenados.

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...