Angelina preocupada com crianças-soldado do Congo

A actriz assistiu a uma audiência do julgamento de Thomas Lubanga, ex-líder militar do grupo rebelde União de Patriotas Congoleses (UPC), acusado de recrutar crianças para o conflito na República Democrática do Congo.

A actriz Angelina Jolie deslocou-se, esta terça-feira, ao Tribunal Penal Internacional para assistir a uma audiência do julgamento de Thomas Lubanga, ex-líder militar do grupo rebelde União de Patriotas Congoleses (UPC).

Lubanga é acusado de recrutar crianças para o conflito na República Democrática do Congo, durante a guerra civil em Ituri entre 2002 e 2003. Os rapazes eram forçados a violar e a matar e as raparigas eram utilizadas como escravas sexuais.

Esta é a segunda vez que a actriz, que é embaixadora do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (HCR), se desloca ao tribunal, com sede em Haia, para perceber melhor o processo e a utilização das crianças-soldado.

Segundo declarações divulgadas pelo TPI a companheira de Brad Pitt disse que “as crianças merecem protecção. Usá-las em conflitos bélicos é um crime atroz, destruidor da estrutura mais profunda de uma sociedade”.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".