Ana Paula Vitorino conta como venceu o cancro sem abandonar Governo

Ministra do Mar foi diagnosticada em janeiro de 2016 mas manteve-se no cargo

Menos de dois meses depois de ter tomado posse como ministra do Mar, Ana Paula Vitorino foi diagnosticada com cancro. Foi em janeiro de 2016 e, apesar de momentos difíceis, manteve-se no Governo. Em entrevista ao Expresso, a governante conta como conseguiu conciliar o cargo com os tratamentos e admite que nem sempre seguiu as ordens dos médicos.

"Isso é que era pera doce! É fazer o que tem de se fazer, com a opinião dos médicos e, pelo meio, contando umas anedotas para eles se rirem e eu me rir também", diz Ana Paula Vitorino nesta entrevista, em que refere, que, por agora, o cancro está dominado. "So far, so good. Mas sei lá o que me vai acontecer", comenta.

A ministra refere que a primeira preocupação após o diagnóstico foi falar com o primeiro-ministro António Costa "e dizer-lhe que estava disponível para sair do Governo". "Ele foi de uma solidariedade à prova de bala", diz, admitindo que a sua situação clínica era grave. "A probabilidade de me safar era muito baixa, era um cancro muito agressivo".

Ao longo dos tratamentos, conseguiu conciliar os horários das sessões com o trabalho como ministra, também muito devido à compreensão da equipa médica que a acompanhou na Fundação Champalimaud e que chegou a esperar cerca de três horas pelo fim de um debate na Assembleia da República para efetuar uma sessão de radioterapia.

Ana Paula Vitorino conta ainda que quando foi secretária de Estado, de 2005 a 2009, também foi diagnosticada com cancro, mas dessa vez menos agressivo. Por isso, brinca: Nada de cargos mais elevados! Não posso ser Presidente da República, porque então nem sei o que me acontecerá!".

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Pessoas
Pub
Pub