Advogado de Trump pede 20 milhões de dólares a atriz porno

Michael Cohen alega que Stormy Daniels violou o acordo de confidencialidade

O advogado particular do Presidente dos Estados Unidos da América interpôs uma ação contra a atriz porno Stormy Daniels reclamando desta 20 milhões de dólares por violar o pacto de silêncio relativo a uma alegada relação com Trump.

Segundo o jornal The Washington Post, citado hoje pela agência Efe, Michael Cohen também pede na ação, de cerca de 16 milhões de euros, que todos os procedimentos futuros relativos a este caso sejam confidenciais.

A atriz terá recebido, na campanha eleitoral para as presidenciais norte-americanas, um pagamento do advogado de 130.000 dólares (cerca de 105 mil euros) para, supostamente, manter segredo sobre uma relação que manteve com Trump dez anos antes, pouco depois de o Presidente ter casado com Melania Trump,

Nas últimas semanas, a atriz tem tentado junto dos tribunais anular o acordo que fez com o advogado de Donald Trump para poder falar sobre a relação que manteve com este.

O advogado de Stormy Daniels, Michael Avenatti, apresentou na semana passada a pretensão de anulação do acordo que Daniels assinou alguns dias antes da eleição presidencial, em novembro de 2016, para ficar em silêncio sobre uma relação que diz ter tido com o magnata do imobiliário e atual presidente norte-americano.

No texto argumenta-se que o acordo de confidencialidade não é válido, uma vez que Donald Trump não o assinou.

A atriz porno, de 38 anos, solicitou também o direito de publicar as mensagens de telemóvel que trocou com Trump, bem como as fotografias e vídeos relativos a esta relação, segundo uma carta enviada a Michael Cohen, advogado do multimilionário.

"Penso que é a altura de ela contar a sua história e que o público possa decidir quem diz a verdade", declarou Avenatti na semana passada.

A Casa Branca tem repetido que Trump desmente firmemente a existência desta relação.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".