Iñaki nega em tribunal envolvimento da família real

Iñaki Urdangarin negou hoje em tribunal que a sua mulher, a infanta Cristina, tenha qualquer relação com os negócios do Instituto Nóos, desmentindo também o envolvimento da Casa Real.

"Declaro que a família real não deu o seu parecer, recomendou, autorizou ou apoiou as atividades que eu realizava no Instituto Noos", disse no tribunal de Palma de Maiorca onde foi ouvido durante cerca de quatro horas, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.

O antigo campeão olímpico, de 45 anos, casado com a filha mais nova do rei de Espanha Juan Carlos, é suspeito de ter desviado vários milhões de euros de fundos públicos através do Noos, uma sociedade de patrocínios à qual presidiu entre 2004 e 2006.

Diante do juiz José Castro, Urdangarin tentou hoje afastar a suspeita da Casa Real, marcando uma fronteira clara entre a família da sua mulher e o seu negócio e desmentindo informações divulgadas pela imprensa, através de mensagens de correio eletrónico que lhe são atribuídas, que pareciam indicar que o rei Juan Carlos tinha apoiado o genro.

Interrogado há uma semana pelo mesmo juiz, Diego Torres, ex-sócio de Iñaki Urdargarin, tentou implicar Juan Carlos nos negócios do Instituto Nóos, entregando em tribunal correios eletrónicos, cartas e outros documentos que, alegadamente, referem o monarca.

O advogado de Urdangarin, Mario Pascoal Vives, anunciou ao juiz que vai impugnar os correios eletrónicos dado questionar a origem dos documentos, disseram à EFE fontes judiciais.

Iñaki Urdangarin personificou durante muito tempo o genro ideal, antes de cair em desgraça a ponto de desaparecer das fotografias oficiais da família real espanhola.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG