Rihanna declarada "persona non grata". "É parte de um amplo plano demoníaco"

Cantora tem agendada uma viagem ao Senegal para participar numa reunião de uma organização de que é embaixadora

Um grupo islamita senegalês, designado 'Coletivo anti-maçons', declarou hoje 'persona non grata' a cantora Rihanna, antes da sua visita ao país, por ocasião da cimeira sobre o financiamento da Aliança Mundial para a Educação.

Rihanna é embaixadora de boa vontade desta organização, pelo que vai a Dakar, para uma reunião que decorre nos dias 02 e 03 de fevereiro.

Em comunicado divulgado na segunda-feira, o mencionado grupo qualifica a viagem de Rihanna como parte de um "amplo plano demoníaco (...) para fazer do Senegal um centro da perversão universal".

No texto, acrescentou-se que "os senegaleses questionam de forma legítima o que uma contra modelo como Rihanna pode contribuir para a educação dos seus filhos".

Não é a primeira vez que este grupo se faz ouvir, uma vez que já conseguiu o cancelamento de uma reunião de maçons africanos, que estava marcada para a semana passada em Dakar.

A polémica fez com que o ministro da Educação, Serigne Mbaye Thiam, esclarecesse que a cantora se desloca a Dakar como "convidada" da Aliança Mundial da Educação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG