FBI suspeitava de ligações de Marilyn aos comunistas

A amizade da atriz com suspeitos de serem simpatizantes da causa comunistas deixaram o FBI em alerta, revelam documentos agora desclassificados.

A obsessão de J. Edgar Hoover, o histórico diretor do FBI, com os comunistas infiltrados nas mais altas esferas da sociedade norte-americana levou a inúmeras investigações. Um dos seus alvos foi Marilyn Monroe. A atriz chegou a estar sob observação, tudo devido à sua amizade com suspeitos de simpatizarem com a causa comunista.

Agora, mais de 50 anos depois da morte de Marilyn, o FBI reeditou os seus arquivos sobre a atriz, revelando os nomes antes censurados de alguns dos seus amigos que levantaram suspeitas nos serviços secretos.

As revelações podem não ser explosivas, mas mostra, por exemplo, a sua amizade com Frederick Vanderbilt Field, membro da famosa família Vanderbilt, deserdado precisamente por ter simpatias de esquerda.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG