Fátima Lopes apresenta nova coleção em Paris

A criadora portuguesa Fátima Lopes apresentou hoje, na capital francesa, aquela que considera "a coleção mais Fátima Lopes dos últimos dez anos", durante a Semana da Moda de Paris, que termina a 01 de outubro.

A coleção para a próxima primavera/verão de Fátima Lopes apresenta uma linha inspirada nos anos 1960 e no espetáculo musical 'Sweet Charity', protagonizado por uma bailarina de cabaré, recuperando alguns códigos do período retratado no musical de Bob Fosse, como "o vestuário feminino-masculino" e "os cortes retos e gráficos".

"Esta é uma coleção com uma inspiração nos anos 60, mas uma coleção muito natural, talvez a mais Fátima Lopes dos últimos dez anos. É a minha cara exatamente", disse a designer madeirense à Lusa, acrescentando que "há um lado muito 'clean' que vai chegar diretamente às pessoas".

A sobriedade e o glamour subiram ao palco da imponente sala panorâmica do cabaré Lido, em plena Avenida dos Campos Elísios, com os barrocos lustres monumentais a iluminarem um desfile marcado pela impertinência e pela rebeldia, típica dos anos 60 e do traço de Fátima Lopes.

"Tudo começou com os anos 60, mas, a partir daí, a coleção foi desenvolvendo e tem muito mais 2014, 2015 do que propriamente dos anos 60", explicou a designer, momentos antes do desfile, acrescentando que os cabelos têm "essa abordagem aos anos 60, assim como as cores e os padrões".

Fátima Lopes admite que na coleção há "peças-esculturas" moldadas pelo jogo de texturas e materiais, um autêntico "patchwork" (trabalho com retalhos) de tecidos nobres com a mistura de seda com croché, por exemplo, com o relevo sugerido pelos bordados ou pelos padrões mais gráficos, havendo também as rendas, os linhos, as lãs frias e o cabedal.

Há também "peças-pinturas", a evocar uma certa arte minimalista despertada nos anos 60, com linhas retas e geométricas, as formas em V a esculpirem o corpo - seja nos decotes ou nas aplicações - e uma paleta em que domina o preto, o azul, o branco e, pontualmente, um toque de amarelo.

Se os padrões e as cores apontam para aquela década, os cortes são dos dias de hoje, insistiu a criadora, que se manteve fiel ao seu traço ao desenhar uma linha ajustada ao corpo, mas propondo igualmente formas mais volumosas sugeridas pela leveza dos tecidos.

Esta é "uma coleção verdadeiramente feminina, a mais feminina dos últimos anos", insistiu Fátima Lopes, que cumpriu o 32.° desfile em Paris, acrescentando mesmo: "É talvez a minha preferida nos últimos dez anos".

Na terça-feira é apresentada a coleção de Luís Buchinho, na Biblioteca Nacional de França. As propostas de Luís Buchinho e Fátima Lopes são apresentadas à margem do calendário oficial da semana de pronto-a-vestir da capital francesa, onde os dois criadores estão com o apoio do Portugal Fashion.

Esta é a 30.ª participação do Portugal Fashion na Semana de Pronto-a-Vestir de Paris e, em paralelo aos desfiles, seis criadores nacionais marcam presença em certames profissionais e especializados em Paris, como a Tranoï, com Luís Buchinho e Susana Bettencourt, enquanto Carla Pontes, Daniela Barros, João Melo Costa e Teresa Abrunhosa participam no showroom comercial do Fashion Scout Paris, uma plataforma dedicada à "captação de novos nomes da moda internacional", de acordo com o Portugal Fashion.

O Portugal Fashion, organizado pela Associação Nacional de Jovens Empresários, decorre entre 22 e 25 de outubro, com arranque marcado para Lisboa, seguindo depois para o Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG