Criador de "House of Cards" pede a Twitter para fechar conta de Trump

Beau Willimon utilizou a rede social para afirmar que as declarações do presidente dos Estados Unidos são "uma ameaça à segurança nacional"

"O Twitter é fantástico. Une o mundo. Isto acarreta uma responsabilidade: fazer o que lhe compete para proteger esse mundo", diz Beau Willimon numa mensagem na plataforma de microblogging. É por isso que o criador da série House of Cards considera urgente que a rede social encerre o perfil de Donald Trump, cujos tweets considera "uma ameaça à segurança nacional" por transmitirem "aos líderes estrangeiros a sua contínua impulsividade, imprudência, ilusão e ignorância sobre o governo", além de encorajarem os "inimigos" dos EUA "a aproveitar as suas falhas".

"O presidente Trump tem feito consistentemente afirmações enganosas, ataca o sistema judicial e ameaça os Estados soberanos, a imprensa e o público", diz Willimon. "O que o presidente escreve no Twitter tem um impacto real e significativo em questões de governo, em assuntos mundiais e em segurança nacional", afirma ainda o criador da série da Netflix, acrescentando que "apenas uma pessoa no Twitter é presidente dos EUA", o que lhe confere "uma responsabilidade única e suprema ao contrário de qualquer outro utilizador" da rede social.

As alegações de Beau Willimon surgem depois de Donald Trump ter acusado o anterior presidente norte-americano, Barack Obama, de colocar escutas telefónicas na sua Trump Tower antes das eleições. "É legal o presidente colocar escutas numa corrida presidencial antes de uma eleição? Foi recusado por um tribunal antes. Um novo momento baixo!", escreveu o atual chefe de Estado.

"Quão baixo foi o presidente Obama para escutar os meus telefonemas durante o sagrado processo eleitoral. Isto é Nixon/Watergate. Mau (ou doente) tipo", disse ainda Donald Trump.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG