Charlie Sheen exige 100 milhões a estúdio que o despediu

O actor entrou com uma acção contra a Warner Bros. e vai pedir uma autêntica fortuna por considerar que foi afastado injustamente.

Charlie Sheen já tinha afirmado que não ia ficar de braços cruzados, depois de ter sido afastado da sitcom "Two and a Half Men", da Warner Bros.. O actor decidiu processar os estúdios e vai pedir 100 milhões de dólares (mais de 70 milhões de euros), alegando que foi despedido por ter criticado os produtores.

Na acção entregue em tribunal, Sheen, que no último ano foi notícia sobretudo por causa do vício das drogas e do álcool, alega que a série que protagonizava, que já ia na sua nona temporada e cujos restantes episódios foram cancelados, já gerou mais de um bilião de dólares.

O actor argumenta ainda que a Warner Bros estava "muito contente" por terem assinado um novo contrato no ano passado, mesmo depois de o actor ter enfrentado a acusação por agressão à ex-mulher e de ter estado internado para desintoxicação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG