Ana Moura sobre Prince: "É tão difícil de aceitar"

Fadista recordou, numa mensagem no Facebook, momentos e trocas de palavras com Prince

No dia em que Prince morreu (a 21 de abril), Ana Moura perdeu as palavras. Limitou-se a expressar a sua dor através de uma imagem negra de perfil. A sua primeira reação chegou esta sexta-feira, através do Facebook. "A primeira vez que te vi, demonstraste tanta humildade e gratidão. Mesmo depois de todo este tempo, não mudaste nem um bocado", começou por escrever a fadista, amiga próxima do músico norte-americano, recordando palavras que este lhe dirigiu.

"Pela primeira vez na minha vida", continuou, "estou a fazer por sentir essa gratidão que ele dizia sentir em mim, e essa força. "A música ajuda", dizia-me ele, e eu preciso tanto que isso seja verdade agora. Isto tudo é tão difícil de aceitar", lamentou a voz de Dia de Folga nas redes sociais.

Vasco Sacramento, agente de Ana Moura, também fez questão que relembrar os "sete maravilhosos anos" em que acompanhou "o Mestre e a sua Musa". "No início, sentia que ele desconfiava de mim. Eu era o manager. O rosto da indústria. Mas ele adorava a Ana. Era a musa dele. A voz dela prendia-o. A humanidade maior da Ana libertava-o. Passou a amar Portugal por causa dela. O mundo inteiro conhecia o Prince, mas acho que houve um mundo que o Prince só conheceu através da Ana", escreveu, na mesma rede social.

Ana Moura e Prince mantinham uma relação de amizade há vários anos. Em 2009, o intérprete de Purple Rain confessou ser fã da cantora portuguesa e, um ano depois, estiveram juntos em palco, no festival Super Bock Super Rock, em Lisboa.

Recorde-se que Prince morreu na quinta-feira, aos 57 anos. A autópsia já foi realizada, mas os resultados ainda não foram divulgados. O TMZ - que avançou a notícia da morte - revela, no entanto, que alguns dias antes o músico tinha sido tratado num hospital por uma overdose de analgésicos, utilizados para tratar um problema na anca.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG