Adeptos ingleses em Portugal condenam episódios de violência

Estiveram centenas de ingleses, no início da tarde desta quinta-feira, a acompanhar o jogo da seleção britânica no Terreiro do Paço. Todos eles destacam o bom ambiente que existe na capital portuguesa

A violência tem marcado o campeonato da Europa 2016. Na noite da passada quarta-feira, registaram-se novos confrontos entre adeptos ingleses e russos nas ruas de Lille. Uma situação que ocorreu já depois de a UEFA ter avisado que pode chegar ao ponto de excluir as duas seleções, se se continuassem a verificar mais distúrbios em França.

Quando questionados acerca dos comportamentos violentos que os seus adeptos estão a ter, os ingleses presentes no Carlsberg Euro Lounge, em Lisboa, não hesitaram em condenar os atos e preferiram sublinhar o "bom ambiente e espírito de convívio entre todas as nações que se vivem em Portugal".

"É muito mau. Não deveria acontecer situações dessas, todos deveriam desfrutar do futebol, do sol e beber umas cervejas", afirmou com boa disposição Craig Harris, um inglês que viu com satisfação a vitória da sua seleção diante do País de Gales por 2-1 com um golo de Sturridge já nos descontos. No entanto, o jovem de 24 anos frisa que tem sido notório que quem tem criado mais problemas têm sido os adeptos russos.

Opinião partilhada por James Ellis, residente na cidade de Sheffield. "Pelo que tenho ouvido de compatriotas meus que estão em França, têm sido sempre os russos a provocar-nos. Nós só nos defendemos do ataque. Temos má imprensa há 30 anos e acho que andamos a ser perseguidos", defendeu.

Apesar de todos os incidentes que se têm verificado em terras francesas, todos duvidaram que daí possa advir um castigo de exclusão de Inglaterra do Euro 2016. "A seleção não pode pagar por erros de uma minoria. Não acredito que a UEFA exclua qualquer equipa da competição", frisou Danny Stokes, que há 10 anos escolhe Portugal como destino de férias.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG