Adele não fala com o irmão há dois anos

Cameron O'Sullivan revelou que não é próximo da cantora e que já não fala com ela há cerca de dois anos

Adele e Cameron O'Sullivan têm o mesmo pai. Cresceram em casas separadas e conheceram-se apenas em 2007. Até agora longe dos radares, o irmão da intérprete de Hello falou, pela primeira vez, com a imprensa britânica e revelou que os dois já não se veem nem falam há cerca de dois anos, devido à atarefada vida da superstar.

"É difícil, porque nunca nos vemos. Não somos próximos, de todo, e isso é o mais difícil de tudo", confessou o estudante de medicina desportiva, de 20 anos. "Sou muito próximo da mãe dela, Penny. Mantemos contacto pelo telefone. Mas raramente falo com a Adele. Ela está tão ocupada", acrescentou ainda, ao jornal The Sun.

Em comum têm o facto de não manterem uma relação com o pai, Mark Evans, que abandonou Adele em 1991, quando esta tinha apenas três anos.

Hoje, a vida da cantora e do irmão não poderiam ser mais diferentes: ela é uma das artistas mais aplaudidas a nível mundial, com mansões em Londres e Sussex avaliadas em dez milhões de libras (12,8 milhões de euros); e ele é um jovem estudante, jogador de râguebi, que ainda vive com a mãe numa modesta casa em South Wales. Enquanto a irmã viaja para os quatro cantos do planeta de jato privado, Cameron faz, regularmente, uma viagem de 45 minutos de comboio para chegar a Cardiff, onde está a tirar o curso.

O'Sullivan disse ainda que já conheceu o filho de Adele, Angelo, de três anos, fruto do relacionamento da cantora com Simon Konecki, e que espera reencontrá-la este ano, quando for assistir a um dos seus concertos.

Numa entrevista em 2011, a artista de 27 anos falou sobre as parecenças que tem com o irmão. "Ele parece meu gémeo. Somos idênticos, com o mesmo cabelo e tudo. É estranho termos crescido numa cidade completamente diferente, mas quando nos vimos foi como se tivemos passado todos os dias da nossa vida juntos", revelou ao jornal escocês The Scotsman.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.