A bilionária que usa hospedeiras em biquíni nos seus aviões

A vietnamita que criou a VietJet, conhecida por ter assistentes de bordo de biquíni, tornou-se a primeira bilionária do Sudeste Asiático

Nguyen Thi Phuong Thao, a empresária que ficou conhecida por usar modelos em biquíni nos voos da sua companhia aérea, está prestes a tornar-se a primeira mulher bilionária do Sudeste Asiático. Vinte e oito anos depois de se ter lançado nos negócios, a vietnamita de 45 anos é dona de um verdadeiro império e pretende tornar a VietJet Aviation Joint Stock Company na "Emirates da Ásia".

Diz que nunca se sentou para calcular o valor do seu património. Contudo, de acordo com o índice de bilionários Bloomberg, Thao tem mais de mil milhões de dólares (893 milhões de euros), o que faz dela a primeira bilionária da região. Grande parte da sua riqueza, diz a mesma fonte, é proveniente da sua participação na companhia aérea e na Dragon City, um empreendimento imobiliário.

Filha de uma professora e de um farmacêutico, a empresária lançou-se nos negócios em 1988, enquanto frequentava o segundo ano do curso de Economia e Finanças em Moscovo. De acordo com a Bloomberg, começou como distribuidora comercial, recebendo roupa, equipamento de escritório e bens de consumo a crédito de fornecedores do Japão, Hong Kong e Coreia do Sul, que vendia na Rússia.

Por ser sempre honesta, disse em entrevista, ganhou a confiança dos comerciantes, que lhe vendiam os produtos a crédito. Três anos depois, Thao fez o seu primeiro milhão e passou a dedicar-se ao comércio de aço, máquinas, fertilizantes e outros produtos. Voltou ao Vietname e investiu num banco comercial, antes de apresentar um pedido para abrir a companhia aérea.

A VietJet ficou conhecida por apresentar assistentes de bordo em biquíni nos voos inaugurais para destinos de praia e nos seus calendários. É já uma imagem de marca, que não incomoda Thao.
Neste momento, a bilionária está apenas interessada em "impulsionar o crescimento da empresa [que tem 30% da quota do mercado], aumentar os salários dos funcionários" e tornar a companhia aérea a número um. No ano passado, triplicou a faturação, que passou para 488 milhões de dólares. Mas o objetivo, avança a Bloomberg, é ir mais longe e transformá-la na "Emirates da Ásia".

Thao tem também uma participação de 90% na Sovinco Holdings, que detém igual percentagem na Dragon City. A bilionária é também acionista maioritária de três resorts no Vietname e tem uma participação de 20% num banco comercial de capital fechado, que conta com 225 filiais, do qual é vice-presidente. "Como uma mulher de negócios, tenho a responsabilidade de contribuir para a economia e impulsionar mudanças positivas no país e na sociedade, à luz do que está a acontecer a nível internacional".

Exclusivos