Wuhan. Repatriamento de portugueses está em curso e a decorrer bem

Chefe da diplomacia português, Augusto Santos Silva, escusou-se a dar pormenores de quando o avião chega a Portugal e perante a insistência dos jornalistas indicou apenas que a chegada será anunciada.

O repatriamento de portugueses da cidade chinesa de Wuhan "está em curso" e "a decorrer bem", afirmou este sábado o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, escusando-se a dar pormenores que possam "prejudicar a operação".

"A operação de repatriamento dos cidadãos portugueses que estavam retidos em Wuhan está em curso, está a decorrer bem, com as complexidades inerentes a essa operação", disse o ministro aos jornalistas no final da Cimeira dos "Amigos da Coesão" a decorrer na Pousada de São Francisco, em Beja.

O ministro escusou-se a dar pormenores, nomeadamente quando e onde chegam os portugueses a Portugal, afirmando que "têm saído 'notícias entre aspas' que são muitas vezes falsas e só prejudicam o decurso da operação".

"Está aqui o interesse público e está aqui a ajuda a compatriotas nossos e quanto mais respeitarmos as regras técnicas e diplomáticas deste tipo de operações, maior sucesso ela terá", frisou.

Perante a insistência dos jornalistas quanto à previsão de chegada dos portugueses, Santos Silva limitou-se a dizer que a chegada será anunciada.

Questionado sobre pedidos de ajuda de quatro países lusófonos para o repatriamento de cidadãos seus em Wuhan, o ministro confirmou tê-los recebido, mas assegurou nada poder fazer para lhes responder positivamente.

"Sim, recebemos esses pedidos e procurámos que eles fossem correspondidos. Infelizmente não é uma decisão que esteja nas nossas mãos, visto que se trata de uma operação europeia, que é coordenada por outro país que não Portugal", afirmou, escusando-se contudo a confirmar de que países partiram ou quantas pessoas envolviam.

Avião tem autorização para sair de Wuhan esta noite

Dezassete portugueses de Wuhan, cidade chinesa colocada sob quarentena, pediram para ser repatriados e, segundo fonte do governo chinês, o avião que os vai transportar tem autorização para partir este sábado à noite (já domingo na China).

O avião, fretado pelo Governo francês, e que partiu na quinta-feira de Portugal, rumo a Paris, tendo chegado este sábado a Wuhan, no centro da China, após uma segunda paragem em Hanói, irá partir um dia depois do previsto inicialmente.

Os portugueses que vão ser retirados confirmaram à Lusa que já estão reunidos no consulado francês em Wuhan, a partir de onde serão transportados, junto com outros 350 cidadãos europeus, a maioria franceses, para o avião, um Airbus A-380.

A China elevou hoje para 259 mortos e quase 12 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

Além do território continental da China e das regiões semiautónomas chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 20 outros países.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG