Três carteiristas detidas por furto de mais de 36 mil euros no elétrico 15

Uma das carteirista conta com um longo historial de furtos nos elétricos da Carris e até já é conhecida por "Doutora".

Os elétricos de Lisboa já ganharam a fama de serem, muitas vezes, o centro de furtos na capital. A enchente de pessoas nestes veículos, cada vez mais turistas, faz com que o trabalho dos grupos organizados para este fim seja mais facilitado. Mas nem sempre conseguem fugir com grande valor. Não foi o caso deste grupo de três carteiristas mulheres, com idades entre os 28 e os 42 anos, que esta terça-feira fugiram do elétrico 15 com uma bolsa de uma turista, que continha artigos avaliados em mais de 36 mil euros. As assaltantes já foram detidas, de acordo com o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

Em comunicado, as autoridades contam como as mulheres seguiram a turista, que se encontrava num grupo. Enquanto uma delas vigiava, uma outra encostou-se à vitima encobrindo a ação da terceira, que abriu a mochila de onde tirou uma caixa com um par de brincos e uma bolsa.

O par de brincos em ouro é uma marca de alta joalharia, valendo 2.290 euros enquanto na bolsa, também de uma marca de alta-costura no valor de 400 euros, além de documentos, cartões bancários e dinheiro em dólares, yuans e euros, no total de 170 euros, a vítima tinha várias peças em ouro e esmeraldas de onde se destaca um colar com um Buda em esmeralda no valor de 30 mil euros.

As carteiristas iriam lucrar, assim, cerca de 36.760 euros, contabilizou a PSP.

As três mulheres tentaram fugir de táxi, logo após o furto, mas sem sucesso, pois os agentes da PSP impediram o carro de arrancar, detendo as mulheres e apreendendo a caixa de brincos e a bolsa, que entregaram à vítima.

De acordo com as autoridades, uma das detidas é uma carteirista com longo historial, conhecida por "Doutora", que atuava nos elétricos 15 e 28 da Carris, mas com a recente detenção naqueles dois elétricos de dois carteiristas bastante ativos, a mulher foi atuar para a zona nobre da cidade: Marquês de Pombal e Avenida da Liberdade, onde circulam muitos turistas de classe alta. A líder do grupo estava indiciada em outros sete furtos de carteira, todos cometidos dentro dos elétricos 15 e 28 da Carris desde o princípio do ano, sobre os quais ainda decorrem investigações.

As três detidas foram presentes no Tribunal da Comarca de Lisboa - Juízo Criminal de Lisboa, para primeiro interrogatório judicial, tendo a líder ficado em prisão preventiva e as outras duas sujeitas a apresentação às autoridades.

Ainda entre os dias 17 e 22 de maio, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, procedeu à detenção de outros seis carteiristas, com idades entre os 19 e os 38 anos de idade. O crime decorreu na freguesia de Santa Maria Maior.

Exclusivos