Temperaturas chegaram aos 25º C em dezembro. A seca está de volta

As duas primeiras semanas de dezembro registaram temperaturas máximas primaveris em todo o país, bem próximas dos 19º C, quase 5 graus acima do habitual. Já a precipitação ficou muito abaixo do normal. Mais de metade do país está em seca fraca

Sim, os últimos dias têm sido frios, mas a descida nos termómetros foi ainda mais sentida porque tivemos um último mês anormalmente quente e seco. É isso que mostra o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) no seu resumo climatológico de dezembro, onde sobressaem o regresso da seca - embora fraca - em mais de metade do país e temperaturas máximas, em média, que fizeram deste o terceiro dezembro mais quente desde 1931. Em Aljezur, no Algarve, os termómetros chegaram mesmo a níveis quase de verão no dia 10: 25º C.

As duas primeiras semanas do mês passado (entre 1 e 12 de dezembro) registaram mesmo temperaturas máximas primaveris em todo o país, bem próximas dos 19º C, quase 5 graus acima do normal. E não foi só o valor médio da temperatura máxima que foi superior ao habitual (mais 1,33 graus ao longo de todo o mês), as temperaturas médias, na casa dos 10,5º, também ficaram ligeiramente acima do normal.

Já os valores de precipitação ficaram a bem menos de metade (37%) do que é habitual desde 1931, mas que ainda assim se tornou normal esta década: nos últimos oito anos, o valor de precipitação mensal em dezembro foi sempre inferior ao normal.

Este mês muito quente e seco resultou no regresso bem perto do final do ano da seca, que já tinha ficado para trás em novembro. Tendo em conta os valores baixos de chuva registados em dezembro, verificou-se no final do mês o surgimento de uma situação de seca meteorológica fraca a sul do Tejo, que equivale a mais de metade do território: 53,3 % do país está na classe de seca fraca, 13,7% na classe normal e 33% na classe de chuva fraca.

À laia de curiosidade, Chaves registou a mínima mais baixa de dezembro (-2,8º C, no último dia do ano) e Fóia, na Serra de Monchique, registou a rajada de vento mais forte, 105,5 km/h.

Na segunda-feira, os transmontanos vão ser especialmente castigados pelo frio, com Bragança a chegar aos -5º de mínima e Vila Real a -1º

O início do ano tem sido marcado por uma descida das temperaturas, mais acentuada nas mínimas. Para este domingo, o IPMA prevê mínimas abaixo de zero em Bragança (-2º) e Braga (-1º). Lisboa vai registar 4º de mínima e 14º de máxima, enquanto o Porto vai oscilar entre os 4º e os 16º. Mas na segunda-feira, os valores mínimos vão descer ainda mais na maior parte do país, com os transmontanos a serem especialmente castigados pelo frio, com Bragança a chegar aos -5º e Vila Real a -1º. Braga e Leiria (com -2) também vão ficar abaixo de zero.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG