Santa Casa de Lisboa inaugura espaço de empreendedorismo e inovação social

A partir desta segunda-feira, o projeto estará sediado no Convento de São Pedro de Alcântara e pretende unir forças entre autoridades locais e empreendedores.

Pretende ser um polo agregador de empreendedores direcionados para o desenvolvimento comunitário e ficará sediado bem no coração de Lisboa, no Convento de São Pedro de Alcântara. A Casa do Impacto é o novo projeto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), oficialmente inaugurado esta segunda-feira, dia 1 de outubro.

Foi através de uma primeira "avaliação do ecossistema do empreendedorismo" que a Santa Casa percebeu que teria que criar um projeto "que unisse parceiros sociais, com visão 360º". Quem o diz é Sérgio Cintra, administrador da Ação Social da instituição e um dos grandes responsáveis pela iniciativa. "Há algo aqui que não existia até agora: juntamos o governo local, o governo central, os empreendedores, a economia privada e os parceiros de economia social - que somos nós, a Santa Casa de Lisboa e o Montepio". Além destas duas instituições, estão assinalados como parceiros diretos a Câmara Municipal de Lisboa, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação Aga Khan, a Startup Lisboa e a Portugal Inovação Social.

A Casa do Impacto começou a ser idealizada há nove meses como um projeto agregador de todas as entidades relacionadas com a inovação e desenvolvimento social, "desde os empreendedores às instituições do 3.º setor, universidades, empresas, programas de aceleração, investidores, filantropos e autarquias", pode ler-se no comunicado de imprensa.

"Associamos a isso ainda uma dupla vertente: vamos disponibilizar espaços de coworking no próprio convento, para que os diversos empreendedores que estão, volta a meia, a concorrer para ganhar prémios, tenham oportunidade de verificar se a ideia que é extraordinária no papel depois se traduz num negócio que tenha resultados", explica Sérgio Cintra.

O novo projeto da instituição social já é casa de algumas das startups que estarão envolvidas no projeto: a Academia de Código, a SPEAK (ambas casos de sucesso no mercado) e "outros projetos provenientes do programa de aceleração da SCML (o PAES), do IES-Social Business School e do programa de aceleração da Maze Impact".

É através de um sistema inclusivo e integrado que a Casa do Impacto pretende, paralelamente ao trabalho praticado diariamente, concretizar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, promovidos pelas Nações Unidas, através da criação de soluções para problemas na área da saúde, educação, empregabilidade, ambiente e combate à exclusão social.

O administrador sublinha que o projeto pretende ser uma "referência na área da inserção". "Ninguém pode ser deixado para trás e todos são responsáveis por mudar o território em que residem ou estudam", acrescenta.

A Casa do Impacto pretende lançar, até ao final do ano, "dois programas de aceleração para empreendedores sociais e impacto, vários workshops mensais, incubar mais de 10 startups, inaugurar um espaço de co-work com capacidade para 30 pessoas, criar um fundo, lançar um concurso com base tecnológica e desenvolver um sistema de avaliação de impacto para as organizações que da Casa".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG