Prepare-se: chuva e trovoada deixam cinco distritos sob aviso laranja

Para segunda-feira estão previstas condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros e trovoada, em especial nas regiões do Interior. A partir de terça-feira, a temperatura volta a subir.

Depois de uma semana marcada por uma subida da temperatura, a meteorologia volta a estragar os planos a quem está de férias. Devido às previsões de chuva e trovoada, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) decidiu colocar cinco distritos sob aviso laranja durante a tarde de hoje e até ao início da noite.

Nos distritos de Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco e Viseu, o aviso manteve-se amarelo durante a manhã, passando a laranja ao início da tarde.

Ao DN, Ricardo Tavares, meteorologista do IPMA, adiantou que a situação será revista nas próximas horas e é possível que "o aviso se possa prolongar até amanhã e que se estenda até ao interior da região Sul".

Para esta domingo, está prevista "uma situação de instabilidade mais no Norte e Centro, com aguaceiros, trovoada, granizo e rajadas pontuais de vento". A temperatura máxima mais elevada regista-se no distrito de Évora (33 graus) e a mais baixa no Porto (24 graus)

As previsões indicam que "a instabilidade mantém-se durante a noite, apesar de diminuir ligeiramente, e volta a intensificar-se a partir da manhã de amanhã" nas regiões do Interior, "podendo chegar ao interior da região sul e ao Sotavento algarvio".

A partir do final da tarde de segunda-feira, adianta o meteorologista, as condições de instabilidade vão diminuir.

"Ao longo dos próximos dias, prevê-se que a temperatura volte novamente a subir, com o vento a predominar fraco a moderado a partir do quadrante Oeste. Poderá haver ainda algum precipitação no interior das regiões Norte e Centro na tarde de terça-feira, mas será uma situação pontual", diz Ricardo Tavares.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.