Portugal ultrapassa os 30 mil casos de covid-19. Mais 288 infetados em 24 horas

Morreram ainda no último dia mais 12 pessoas e recuperaram 1138 pessoas, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. Internamentos voltam a diminuir.

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais 12 pessoas e foram confirmados mais 288 casos de covid-19 (um aumento de 0,9% face ao dia anterior). Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), desta sexta-feira (22 de maio), no total, há agora no país 30200 infetados, 7590 recuperados (mais 1138) e 1289 vítimas mortais.

Estão internados 576 doentes (menos 32 que ontem), destes 84 encontram-se nos cuidados intensivos (menos oito). O que significa que apenas 1,9% do total de doentes precisam de cuidados hospitalares, neste momento.

A taxa de letalidade global do país é hoje de 4,3%, aumentando para 16,3% na faixa etária acima dos 70 anos - as principais vítimas mortais. Dos 1289 óbitos, 48,9% são homens e 51,1% mulheres.

O boletim da DGS indica ainda que aguardam resultados laboratoriais 2257 pessoas e estão em vigilância pelas autoridades de saúde mais de 26 mil. O sintoma mais comum entre os infetados é a tosse (que afeta 41% dos doentes), seguida da febre (29%) e de dores musculares (21%).

Lisboa sobe 228 casos. Norte tem mais mortes em 24 horas

Dos 288 infetados notificados no último dia, 228 têm residência na região de Lisboa e Vale do Tejo. Nesta zona morreram também três das 11 vítimas mortais declaradas hoje. No total, Lisboa tem agora 9106 casos e 300 óbitos.

É a região que gera mais atenção por esta altura, confirmou, em conferência de imprensa, a diretora-geral da Saúde, por causa de "um surto maior e dois pequeninos" em empresas no polo comercial da Azambuja. Graça Freitas salvaguarda, no entanto, que "a gravidade [deste surto] não tem sido maior do que no passado" por ser uma região com "pessoas mais novas e saudáveis".

Segundo as autoridades de saúde foram realizados 339 testes de despiste na Sonae da Azambuja e destes 76 acusaram positivo para a covid. Nas outras das empresas, "numa há dois positivos e noutra três". Mas todos "estão bem" e a ser acompanhados pelos das unidades locais, garante Graça Freitas. Foi ainda "feito o reforço dos meios de transporte para evitar o contacto físico próximo", acrescentou ainda a diretora-geral da Saúde.

Novo surto na Azambuja já conta com 76 casos.

No entanto foi no Norte (a zona mais afetada pelo vírus desde o início do surto), que se registaram mais mortes das últimas 24 horas: oito. Casos foram mais 56 casos. A região tem agora 16596 infetados e 725 vítimas mortais.

O último óbito dos 12 encontra-se na região do Centro, que notificou também mais duas pessoas com a doença. Alentejo e Sul têm mais um infetado. Açores e Madeira não registam qualquer alteração da situação epidemiológica, nas últimas horas.

A nível municipal Lisboa continua a ser o concelho do país com maior número de casos (2 107, mais 31 que no dia anterior). Seguem-se Vila Nova de Gaia (1 535, mais 6) e o Porto (1 337 mais um), de acordo com os dados do sistema Sinave, que correspondem a 90% do número total de notificações.

29 em cada 10 mil portugueses foram infetados

Por cada 10 mil habitantes, em Portugal, 29,1 estão ou estiveram infetados com o novo coronavírus, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que se referem a quarta-feira, mas divulgados esta sexta. Estes números representam um aumento de 12% em relação à última publicação deste balanço, a 6 de maio.

"O número de casos confirmados com a doença covid-19 por 10 mil habitantes foi acima do valor nacional em 53 municípios", indica ainda o INE. Destes, 36 municípios localizam-se na região Norte, destacando-se o conjunto de municípios contíguos da Área Metropolitana do Porto com mais de 50 casos confirmados por 10 mil habitantes: Valongo, Matosinhos, Maia, Gondomar, Porto, Santo Tirso e Vila Nova de Gaia.

Também alguns municípios das regiões Centro (12), da Área Metropolitana de Lisboa (Lisboa, Loures e Amadora), Alentejo (Moura) e Região Autónoma dos Açores (o município de Nordeste) apresentavam valores acima da média nacional (29,1).

Hospitais de campanha isentos de taxas

Pavilhões e outras estruturas adaptadas para servirem de hospitais improvisados durante o combate à pandemia estão isentas do pagamento de "taxas de registo previstas pelo sistema de registo de estabelecimentos regulados da Entidade Reguladora de Saúde​​​​​"até ao final de 2021. O anuncio foi feito, em conferência de imprensa, pelo secretário de estado da Saúde, António Lacerda Sales, que indicou que a medida foi aprovada no Conselho de Ministros de ontem.

"O esforço contra a Covid-19 tem mobilizado diversos agentes sociais. São exemplos dessa mobilização a abertura de pavilhões e outras estruturas para acolher pessoas com Covid 19 que não disponham de condições para cumprir isolamento no domicílio e postos de colheita de material de diagnóstico. Este esforço coletivo deve ser enaltecido e incentivado", apontou o governante.

Ainda durante o ponto da situação diário, o secretário de estado da Saúde indicou que chegaram, esta semana, 44 ventiladores provenientes da China. 20 dos quais seguirão para o Centro Hospitalar do Algarve, fruto de doações, "os restantes chegarão a diferentes unidades do Serviço Nacional de Saúde".

Surto no Hospital de Santa Maria foi "circunscrito". Enfermaria está a ser desinfetada e reabre na terça-feira

Depois de na quarta-feira, 11 profissionais de saúde e três doentes do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, terem testado positivo para a covid, o serviço encerrou temporariamente para ser desinfetado e reabre na terça-feira, indicou a diretora-geral da Saúde, que fala num surto "circunscrito".

Em relação aos três doentes com um teste positivo (entretanto transferidos para outro local), estes foram novamente testados, tendo os novos exames revelado resultados negativos. A enfermaria em causa será desinfetada na segunda -feira e poderá voltar a receber doentes na terça. "Os restantes setores do serviço estão a funcionar normalmente e vão manter os cuidados de higienização normais", apontou Graça Freitas.

Mais de cinco milhões de casos em todo o mundo

O novo coronavírus já infetou mais de 5,2 milhões de pessoas no mundo inteiro, até esta sexta-feira às 10:51, segundo dados oficiais. Há agora dois milhões recuperados e 335 058 mortes a registar.

Os Estados Unidos da América são o país com a maior concentração de casos (1 621 333) e de mortes (96 363). Em termos de número de infetados, seguem-se a Rússia (326 448) e o Brasil (310 921). Portugal surge em 28.º lugar nesta tabela.

Quanto aos óbitos, depois dos Estados Unidos, o Reino Unido é agora a nação com mais mortes declaradas (36 042). Seguem-se Itália (32 486), França (28 215) e Espanha (27 940).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG