Mulher detida por violência doméstica e por morder polícia

Ao ser agarrada enquanto tentava fugir, a mulher resistiu com cotoveladas e empurrões, tendo ainda exibido uma faca que trazia escondida à cintura.

Uma mulher foi detida pela PSP da Amadora por suspeita de um crime de violência doméstica e por resistência e agressão a um polícia quando estava a ser algemada.

Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública explica que a mulher de 20 anos foi detida na manhã de sexta-feira por elementos da Divisão Policial da Amadora.

Após informação de que estariam a decorrer agressões no interior de uma residência na freguesia da Falagueira (Venda Nova), os polícias daquela divisão deslocaram-se para o local, verificando que a suspeita já se estava a abandonar a residência.

Segundo a PSP, quando abordada, tentou a fuga, e ao ser agarrada resistiu com cotoveladas e empurrões, tendo ainda exibido uma faca que trazia escondida à cintura.

Os polícias conseguiram retirar a faca, mas a mulher, no momento em que estava a ser algemada, voltou a oferecer resistência, mordendo um dos agentes na zona da canela.

A PSP contactou depois a vítima de violência doméstica, uma mulher de 24 anos companheira da suspeita, verificando que esta tinha sido agredida no interior da residência.

A suspeita terá agredido a vítima com murros, asfixiando-a e ameaçando-a com a faca que depois veio a usar para ameaçar os polícias.

De acordo com a PSP, a suspeita foi presente no próprio dia no Tribunal Judicial da Comarca de Sintra, ficando sujeita a medida de coação não privativa da liberdade.

Desde o início do mês de março, o Comando Metropolitano de Lisboa já deteve 24 homens e mulheres pela prática do crime de violência doméstica.

Um destes casos ocorreu no dia 16 com a detenção pela Divisão Policial de Sintra de um homem de 31 anos, no âmbito de uma investigação e no cumprimento de um mandado de detenção emanado por autoridade judiciária.

O detido desde que soube da intenção e da vontade da ofendida em terminar a relação veio a demonstrar um crescendo de agressividade física e psicológica, praticada na presença da filha menor de ambos.

Segundo a PSP, foi presente ao Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Oeste, Núcleo de Sintra, para 1.º interrogatório judicial, tendo-lhe sido decretada a medida de coação de proibição de contacto com a vítima com recurso a meios de vigilância eletrónicos.

No dia 18 de março, foi também detido um homem de 21 anos, em cumprimento de um mandado de detenção emanado por autoridade judiciária, por ser suspeito da prática do crime de violência doméstica.

No âmbito da investigação, a PSP apurou que agredia de forma violenta e reiterada a sua companheira, sendo certo que numa das últimas agressões pegou numa faca e espetou-a, repetidamente, na cama, por forma a assustá-la.

Assim, ao ser presente no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Oeste, Núcleo de Sintra, para 1.º interrogatório judicial, foi-lhe decretada a medida de coação mais gravosa: prisão preventiva.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.