Mortalidade infantil registou em 2017 o valor mais baixo desde que há registos

A mortalidade infantil atingiu em 2017 o valor mais baixo desde que há registos, tendo diminuído 0,7% face a 2016, segundo dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As estatísticas demográficas indicam que morreram 229 crianças em 2017, menos 53 em relação ao ano anterior, e, segundo o INE, é "o valor mais baixo observado em Portugal desde que há registos".

A taxa de mortalidade infantil diminuiu para 2,7 óbitos por mil nados-vivos.

Num relatório internacional divulgado pela UNICEF em 2015, Portugal integrava um grupo de 14 países que apresentava o terceiro melhor indicador de taxa de mortalidade abaixo dos cinco anos, juntamente com a França, Alemanha, Holanda ou Espanha. Em 2015 o país apresentava uma taxa de quatro óbitos por mil nados-vivos - o que já representava uma diminuição de 76% no período de 25 anos.

A lista é liderada pelo Luxemburgo, Islândia e Finlândia, com uma taxa de mortalidade de duas crianças mortas antes dos cinco anos por mil habitantes. Em segundo lugar estão outros sete países com uma taxa de mortalidade de três crianças mortas antes dos cinco anos por mil habitantes, como é o caso de Noruega, Suécia, República Checa ou Eslovénia.

Em termos globais, a taxa de mortalidade infantil no mundo desceu para metade em 25 anos, segundo o documento, que indica que o número de mortes de menores de cinco anos diminuiu de 12,7 milhões, em 1990, para 5,9 milhões, em 2015, o primeiro ano em que o total se irá situar abaixo do patamar dos seis milhões.

Exclusivos